São Tomás de Aquino

    Comemora-se hoje a transladação, para Toulouse (1396), das relíquias do santo, que foram, então, depositadas na bela igreja dos Jacobinos. Permaneceram aí até a revolução francesa (1792). Os restos mortais de São Tomás voltaram a esse lugar, em 1974, depois da restauração dessa Igreja.
     
    Todos conhecemos as grandes etapas da vida de estudos de Tomás de Aquino. Primeiramente como estudante, depois como professor, viajou muito desde o Monte Cassino, perto do qual nascera em 1255, até Colônia, Paris, Roma e Nápoles, antes de morrer no convento dos Cistercienses de Fossanova, quando se dirigia a Lião, para o Concílio, em 7 de março de 1274. Esse teólogo excepcional foi, antes de tudo, verdadeiro filho de São Domingos, cuja Ordem escolheu mesmo contra os desejos de seus familiares, em 1244.
     
    Mestre em Teologia, permaneceu toda a vida rigorosamente fiel às Constituições da Ordem: o serviço da Palavra, na pobreza mendicante, assumiu para ele o caráter de um trabalho teológico incessante, conduzido pela busca contemplativa de Deus, e pelo desejo de compartilhá-la. A Ordem reconhece nele um mestre e um modelo para se alcançar uma melhor compreensão da Palavra de Deus (cf.LCO, n. 82).

TRANSPARÊNCIA Copyright © 2014 VIVERE